Comitê Baiano do Fórum Social Mundial

O Fórum Social Mundial Temático da Bahia teve como  tema “Diálogos, diversidade cultural e crise civilizatória” cujo objetivo foi discutir as propostas de lutas e campanhas que visem à continuidade dos enfrentamentos à crise mundial, visando ampliar o diálogo entre as sociedades civil e a política. Para promover estas discussões era esperada a presença de vários Chefes de Estados, porém, a maioria não pode comparecer. Mas este fato não tirou o brilho do Fórum Social Mundial Temático da Bahia, que teve de acordo com os organizadores mais de 10 mil inscritos e cerca de 20 mil pessoas envolvidas com o evento.

O evento foi dividido em três dimensões temáticas: Fórum de resposta à crise, Fórum de Diálogos e Controvérsias e Fórum de Culturas Periféricas: de Salvador à Ilha Gorée. Ao todo aconteceram 16 mesas de debate e painéis que duraram três dias e discutiram os principais problemas dos países não desenvolvidos.

Dentre os temas estavam a reforma agrária, violência urbana, intolerância sexual e estratégias de governança, a crise alimentar e a climática. A intenção é procurar respostas e soluções para estes problemas que afligem os países pobres.
Os participantes do Fórum Social Mundial Temático da Bahia, entre expositores e platéia, foram formados por integrantes de movimentos sociais e as discussões se dividiram entre o campus da Universidade Federal da Bahia (UFBA), da Universidade Estadual da Bahia (UNEB) e da Universidade Católica de Salvador (UCSAL).

O Fórum Social Mundial Temático da Bahia teve conforme os organizadores um saldo positivo. Entidades como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) ressaltou a importância do Fórum que de acordo com a entidade serviu para aprofundar as discussões da classe trabalhadora com temas como a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas. A maioria das discussões foi finalizada, tendo como resultado de que a culpa pelos problemas sociais são exclusivamente  das grandes corporações, dos governos elitistas, dos países desenvolvidos e ainda da grande imprensa.

O Fórum Social Mundial Temático da Bahia teve total cobertura da mídia nacional e internacional com a presença de mais de 300 profissionais ligados a jornais, emissoras de tv e de rádio, internet, revistas e outros veículos de comunicação. Para organização e os participantes do Fórum, o FSMT-BA alcançou seu principal objetivo que era ser a ligação para Dacar em 2011 e ainda se firmar para o estado baiano sediar em 2013 mais uma edição do Fórum Social Mundial.